Apesar de ter sido dos construtores automóveis mais precursores, a par da Toyota, em termos de híbridos, a Honda não é das marcas mais adiantadas a apanhar o comboio da mobilidade 100% elétrica.

O construtor anunciou planos para lançar dez novos EV nos próximos cinco anos, mas o facto é que, de momento, a marca oferece apenas um EV, o Honda e.

Ciente disso e para aproveitar a vantagem e experiência que outros fabricantes evidenciam em termos de BEV, o novo CEO da Honda, Toshihiro Mibe, pretende que a marca se associe a outra companhia, de acordo com o Automotive News.

Toshihiro Mibe pretende que a Honda seja totalmente elétrica até 2040, embora os seus modelos de maiores dimensões possam ser fuel cell.

A dúvida que se coloca agora é saber qual será o fabricante ao qual a Honda se associará? Os analistas referem que um passo lógico seria unir forças com outro fabricante japonês, mas há outros dados que podem levar a que a Honda opte por outros emblemas, como General Motors, Ford e Volkswagen, com as quais mantém laços.

Os próximos tempos deverão trazer mais luz sobre este envolvimento do emblema nipónico nos EV.

Recentemente, a marca japonesa apresentou um conjunto de três protótipos elétricos mais futuristas subordinados ao nome e:N Series: o e:N SUV Concept, o e:N GT Concept e o e:N Coupé Concept.

e:N SUV Concept, o e:N GT Concept e e:N Coupé Concept

Este batismo e:N faz sugerir que esse possa vir a ser o novo nome para designar também os futuros elétricos Honda, à semelhança do que têm feito muitos outros fabricantes, como VW (com a marca ID), Mercedes-Benz (com a EQ), Hyundai (com o Ioniq), BMW (com i), Renault (com a E-TECH Electric) ou com a Volvo (com a Recharge).

Artigo anteriorCircuito em Itália testa carregamento sem fios com veículos em andamento
Próximo artigoArenaria: projeto de ciência cidadã nas praias de Portugal

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of