Uma nova geração de mecanismos de passagens de nível, resistente a temperaturas negativas e ventos fortes foi desenvolvida pela Efacec e pelo INEGI para a Trafikverket, a entidade gestora da infraestrutura ferroviária e rodoviária da Suécia.

Esta solução, vencedora de um Red Dot Design Award, na categoria Product Design 2021, contou com a colaboração da portuguesa Almadesign, representando “uma abordagem inovadora no campo dos sistemas críticos de segurança ferroviária, através de um mecanismo de barreira de passagem de nível simultaneamente funcional, seguro e esteticamente apelativo”, destaca o INEGI.

Fornecimento para a Trafikverket

Para este que é um dos mais importantes contratos do segmento de passagens de nível da Europa, a Efacec desenvolveu, certificou e já iniciou o fornecimento de sistemas de passagens de nível automáticos de nova geração para a Trafikverket.

O novo mecanismo de barreira de passagens de nível de nova geração – XBarrier 100 – foi desenvolvido no âmbito de uma parceria de I&D com o INEGI.

“Este concurso colocou-nos importantes desafios tecnológicos pois implicava desenhar uma nova solução de passagens de nível adaptada aos requisitos particulares da exploração ferroviária sueca. Desde as fases iniciais, sabíamos que o INEGI seria o parceiro ideal. E assim aconteceu: trabalhámos num verdadeiro espírito de colaboração entre a indústria e o sistema científico e tecnológico nacionais”, afirma Pedro Pinto, diretor da área de negócio de Transportes da Efacec.

O XBarrier 100 é capaz de suportar condições climatéricas adversas e incorpora um inovador conceito de contrapeso, necessário para o movimento controlado da haste da barreira.

Nesta solução, “o contrapeso não se encontra no exterior da carenagem, como acontece nos sistemas mais comuns, mas sim incorporado no corpo do produto, tornando-se impercetível a quem passa”, destaca o INEGI e a Efacec.

O sistema de contrapeso está ainda adaptado para uma haste de sete metros de comprimento, totalmente modular e ajustável no momento e no local de instalação.

“Há questões, do ponto de vista de desenvolvimento, que não se levantam em Portugal, mas que num país nórdico são determinantes. Por exemplo, a haste da barreira deve ser resistente a condições adversas e o seu movimento deve estar assegurado. Este projeto mecânico já prevê que todo o sistema funcione num intervalo de temperaturas dos -40°C aos 70°C positivos, considerando a possibilidade de formação de gelo, a presença de neve e a possibilidade de a velocidade do vento atinja os 126km/h”, explica Emanuel Lourenço, responsável pelo projeto no INEGI.

Apesar de o Xbarrier100 estar pensado para responder às necessidades específicas da Suécia, o novo sistema capacita a Efacec para a entrada em novos mercados, nomeadamente noutros países escandinavos, tal como Noruega, Finlândia e Dinamarca, onde a empresa tem já uma presença importante.

Artigo anteriorInédito: Seis dos sete finalistas “Car Of The Year” são 100% elétricos
Próximo artigoCOVID-19: empresa portuguesa lança linha de dispositivos de desinfeção do ar

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of