A Northvolt, no âmbito do seu programa de reciclagem Revolt, conseguiu fabricar uma célula com níquel, manganês e cobalto recuperados da reciclagem de baterias em fim de vida. Nasceu assim a primeira célula de bateria 100% reciclada, com potencial para aplicar em baterias para veículos elétricos.

O objetivo da empresa sueca é reutilizar 125 mil toneladas de baterias por ano, dando assim um passo importante num dos maiores dilemas da mobilidade elétrica: o fabrico e reutilização de baterias. A Northvolt quer, em 2030, produzir baterias com, pelo menos, 50% de material reciclado.

De acordo com comunicado de imprensa da empresa, a produção desta célula de bateria reciclada “representa um avanço para a indústria das baterias e um marco para a Northvolt, cuja missão é ter um fornecimento sustentável de baterias e assim apoiar a descarbonização da sociedade”.

bateria

Emma Nehrenheim, diretora ambiental da Northvolt salientou que esta conquista “é um caminho claro para fechar o ciclo das baterias” e assim mostramos “que existe uma alternativa sustentável e ambientalmente preferível à mineração convencional para obter matérias-primas para produção de bateria”.

A mesma responsável disse ainda que “o processo de reciclagem pode recuperar até 95% dos metais de uma bateria, conseguindo-se um nível de pureza equivalente ao material novo. O que precisamos agora é aumentar a capacidade de reciclagem em antecipação aos volumes futuros de baterias que requerem reciclagem”.

A fábrica de reciclagem recebe material de duas fontes: baterias em fim de vida de veículos elétricos e resíduos da produção da Northvolt Ett. Através de um tratamento hidrometalúrgico de baixa energia, que envolve a utilização de uma solução aquosa para isolar os metais e esvaziá-los das impurezas restantes foi possível extrair os metais cobalto, manganês e níquel utilizados na nova bateria.

Emma Nehrenheim disse ainda que “à medida que a revolução dos veículos elétricos ganha velocidade, devemos estar cientes de que cerca de 250.000 toneladas de baterias vão estar em fim de vida útil na Europa em 2030. Na Northvolt, isto é uma oportunidade, tal como encontrámos soluções inovadoras e sustentáveis para a utilização do subproduto de sal na Northvolt Ett – tratando-o como um produto valioso e não como resíduo. O mesmo é verdade com baterias em fim de vida. Em última análise, um compromisso com a circularidade não só reduzirá significativamente os impactos ambientais da indústria de baterias, mas também contribuirá para a nossa visão de definir um novo referencial de sustentabilidade na produção fabril”.

Artigo anteriorCanoo Pick Up: explorar o mundo em modo elétrico
Próximo artigoExpositores feitos com cápsulas de café aproveitados como canteiros

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of