Coopérnico assume coordenação do projeto Matrycs em Portugal

0
Coopérnico assume coordenação do projeto Matrycs em Portugal

A Coopérnico, primeira cooperativa portuguesa de energias renováveis, é agora responsável pela coordenação do Matrycs em Portugal. Um projeto da União Europeia que o Horizonte 2020 financiou em cerca de 4.5 milhões de euros.

O Matrycs tem como principais propósitos “usufruir da digitalização do sistema energético e criar novos serviços para melhorar a eficiência energética dos edifícios europeus”.

Os responsáveis por este projeto comprometem-se a analisar mais de 350 TB (terabytes) de dados provenientes de mais de 60 fontes de dados. Uma tarefa que deve estar concluída dentro de dois anos e que servirá “para facilitar a descarbonização de toda a cadeia de valor dos edifícios”. Incluindo “cidadãos, PME e governos locais”.

A par de Portugal, o projeto Matrycs conta com a colaboração de parceiros oriundos de mais de nove países europeus. De entre os quais: Itália, Espanha, Grécia, Alemanha, Eslovênia, Polónia, Letónia, Bélgica e República Checa.

Portugal é palco de um dos projetos piloto

O Matrycs também pretende testar ferramentas inovadoras em 11 projetos piloto de vários países da União Europeia. O objetivo é “acelerar a transição energética, a fim de garantir a sustentabilidade e resiliência ao longo do ciclo de vida dos edifícios europeus”. Um desses projetos piloto vai ser lançado pela Coopérnico em Portugal.

O grupo prevê envolver 850 cidadãos no desenvolvimento de soluções focadas em facilitar a instalação de novos sistemas de produção fotovoltaica, reduzir os consumos elétricos e encontrar sinergias entre membros de comunidades locais.

A coordenadora executiva da Coopérnico afirma que “as entidades e pessoas envolvidas vão partilhar dados de consumo elétrico com os parceiros do projeto”. Esses parceiros, por sua vez, “vão transformar os dados em informações e dicas para reduzir os consumos dos prédios”. 

Todo este processo exige uma análise rigorosa dos dados. Algo que será feito “através das ferramentas do projeto que serão desenvolvidas e melhoradas no decorrer do mesmo”, esclarece Ana Rita Antunes.

Enquanto coordenadora do projeto Matrycs em Portugal, “a Coopérnico irá acompanhar o desenvolvimento de novos serviços, desde a definição das necessidades até ao envolvimento dos utilizadores finais”, asseguram-nos em comunicado.

Extensão geográfica dos projetos piloto da Matrycs

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of