O projeto português “Transporte a Pedido”, criado e desenvolvido pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIM do Médio Tejo), faz parte da lista dos 25 finalistas aos prémios REGIOSTARS 2021 da Comissão Europeia, concorrendo na categoria de “topic of the year: Enhancing green mobility in the regions: European Year of Rail 2021”.

À semelhança do transporte coletivo regular, o “Transporte a Pedido” tem circuitos, paragens e horários definidos. No entanto, o serviço distingue-se do transporte regular porque a viagem tem de ser desencadeada pelo utilizador, efetuando o seu pedido junto da central de reservas por telefone ou online. Deste modo, as viaturas só efetuam os percursos se, antecipadamente, o serviço tiver sido solicitado e só vão às paragens que tiverem reservas. O que contribui igualmente para uma gestão mais sustentável das viagens.

O projeto Transporte a Pedido foi cofinanciado pelo FEDER através do Programa Operacional Regional do Centro.

Para usarem o “Transporte a Pedido” os cidadãos devem proceder à marcação prévia da sua viagem através de um pedido de reserva telefónica ou online. A reserva deve ser feita até às 15h00 do dia anterior ao dia da viagem. O contacto pode ser feito por chamada gratuita para o 800 209 226 (disponível aos dias úteis das 09h00 às 15h00), ou através deste site. No dia da viagem, basta que o cidadão se desloque a uma das muitas paragens do Transporte a Pedido que se encontram espalhadas por toda a região e aí aguardar pelo respetivo serviço de transporte.

O “Transporte a Pedido” foi criado em 2013 no concelho de Mação, enquanto projeto Piloto em algumas das freguesias do concelho, como uma resposta à necessidade de criar mais soluções de transportes nas zonas de baixa densidade populacional do interior do país, cuja rede de transportes públicos regular é escassa. “Esta é uma solução que visa garantir de forma complementar o direito básico dos cidadãos à mobilidade e o acesso das populações aos serviços essenciais”, salienta os organizadores da iniciativa.

Este serviço que beneficia atualmente mais de 214 mil habitantes, cobre mais de 70 circuitos em 13 concelhos (Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha), e que tem mais de 1.300 paragens, já provou a sua sustentabilidade económica e ambiental. Graças ao sucesso que alcançou já foi replicado nas regiões de Coimbra e do Alentejo.

O projeto português “Transportes a Pedido”, concorre na sua categoria contra outros quatro projetos. O público pode agora votar no seu projeto favorito e eleger o vencedor da categoria Public Choice Award.

Foto: Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo

A votação para eleger os vencedores está neste momento a decorrer online até dia 15 de novembro. Para votar basta aceder a  https://regiostarsawards.eu/, selecionar a categoria e nesta, escolher o projeto em que se quer votar. A votação é validada clicando sobre o coração que se encontra no canto superior direito de cada um dos projetos.

“Representamos Portugal com um projeto que promove a inclusão social dos cidadãos residentes nas zonas mais interiores”

“Termos sido escolhidos entre 214 candidatos oriundos de todos os países da UE e sermos o único projeto português incluído na lista dos 25 finalistas é para nós um motivo de grande orgulho. Representarmos o nosso país nesta final com um projeto que promove a inclusão social dos cidadãos residentes nas zonas mais interiores de Portugal, de fraca densidade populacional e onde a rede de transportes públicos regulares chega de forma residual, espelha igualmente reconhecimento do valor do trabalho que vimos fazendo desde 2013”, explica Anabela Freitas, presidente do Conselho Intermunicipal da CIM do Médio Tejo.

“O Transporte a Pedido é um complemento à rede pública regular e o nosso esforço é o de não deixarmos ninguém sem transporte aos serviços essenciais no centro de Portugal. A nossa ambição é ligar toda a região do Médio Tejo”, acrescenta Anabela Freitas.

A presidente do Conselho Intermunicipal da CIM do Médio Tejo, considera que “o nosso projeto converge com os objetivos de desenvolvimento e coesão fixados pela Comissão Europeia para uma sociedade mais inclusiva, mais sustentável e mais justa na Europa. Projetos como o Transporte a Pedido provam que é possível criar soluções inovadoras e economicamente viáveis que combinam sustentabilidade e inclusão. Este projeto, no qual iremos continuar a investir, só foi possível graças ao apoio da União Europeia.”

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of