A Bosch está a partilhar a sua experiência em engenharia mecânica e a disponibilizar a outras empresas equipamentos de fábrica para a produção de baterias – variando de componentes individuais e soluções de software a linhas de montagem completas.

Um dos seus clientes-piloto é a Webasto, que está a equipar as suas fábricas de baterias com tecnologia Bosch.

“Conhecemos as baterias como a palma da nossa mão, tal como a forma como devem ser fabricadas”, afirma Rolf Najork, membro do conselho de administração da Bosch responsável pela tecnologia industrial.

Com esta abordagem, a Bosch pretende aumentar a integração vertical na engenharia mecânica e, até 2025, gerar vendas anuais de cerca de 250 milhões de euros com equipamentos para produção de baterias.

Aumento de procura vai crescer 10 vezes

Os especialistas preveem que a procura por baterias de iões de lítio irá aumentar de cerca de 200 GWh em 2019 para mais de 2.000 GWh até 2030. Atualmente, mais de 60 por cento dessa procura provém da eletromobilidade.

Em 2025, a Bosch pretende gerar vendas anuais de cerca de 250 milhões de euros com fornecimento de equipamentos de fábrica para a produção de baterias.

A Bosch disponibiliza um portfólio de soluções que variam de hibridização moderada de 48 volts a unidades totalmente elétricas e células de combustível. A empresa desenvolve baterias para veículos, bem como para e-bikes, ferramentas elétricas e eletrodomésticos para cozinha.

A Bosch pretende usar este know-how para dar resposta à crescente procura. “A nossa suposição é que o mercado global de baterias crescerá até 25% ao ano. A Bosch está a fazer a sua parte para responder a essa situação”, diz Najork.

Produção de baterias da Webasto com tecnologia Bosch

A Webasto atua na área de eletromobilidade desde 2016 e, além de aquecedores de alta tensão e soluções de carregamento, centra também a sua atividade em sistemas de bateria para veículos eletrificados.

A produção da bateria na fábrica da Webasto em Schierling, Alemanha, serve como modelo para as novas instalações de produção como a de Dangjin, na Coreia.

O papel da Bosch é fornecer linhas de montagem automatizadas para soldar e colar as células de bateria. Para este propósito, são combinadas as várias funções de produção do módulo: a limpeza de células com inspeção de entrada, o processo de empilhamento, bem como um processo especial de soldagem a laser e inspeção de fim de linha para garantia de qualidade.

Dependendo dos requisitos, a Bosch pode fornecer linhas parcial ou totalmente automatizadas.

Graças a um conceito de linha, nenhuma contaminação por partículas ocorre durante o processamento.

Os robots montam automaticamente as pilhas de células num procedimento de duas etapas que consiste em tecnologia de distribuição e soldagem a laser. Com um conceito de segurança abrangente, é então possível estabelecer a conexão elétrica do módulo de bateria usando um processo de soldagem a laser altamente dinâmico e preciso.

Aplicação nas próprias fábricas da Bosch

A Bosch utiliza também o seu know-how de produção nas suas próprias fábricas: na unidade de Eisenach, Alemanha, a Bosch está agora a lançar a produção em escala de baterias de 48 volts de segunda geração.

Durante a produção, mais de 90 componentes passam por mais de 100 etapas do processo.

A empresa está a investir cerca de 70 milhões de euros este ano na expansão das operações de produção locais. 

Por seu lado, desde 2015, a fábrica da Bosch em Miskolc, Hungria, produz baterias para e-bike de elevada performance que permitem um longo alcance e uma longa vida útil.

A Bosch declara que, até que as baterias, em conjunto com a unidade e o ecrã, possam ser combinadas para formar um sistema de e-bike perfeitamente sincronizado, o processo de fabricação deve passar por cerca de 20 etapas. Isso inclui a inspeção de entrada para as células, módulo e embalagem do pacote e integração do sistema de gestão de bateria.

“A produção local totalmente automatizada garante padrões de alta qualidade, segurança máxima da bateria e cadeias de abastecimento estáveis para fabricantes de bicicletas elétricas”, garante a empresa que irá apresentar as suas soluções para eletromobilidade na IAA Mobility em Munique, de 7 a 12 de setembro.

Artigo anterior28 entidades vão apostar num laboratório de hidrogénio em Torres Vedras e região Oeste
Próximo artigoHabitantes de Cascais já podem utilizar trotinetes elétricas da LINK

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of