O programa Volvo Cars Exchange System, que visa reaproveitar peças Volvo, já foi capaz de atingir uma redução de 400 toneladas de matérias primas (271 toneladas de aço e 126 toneladas de alumínio) e 4.116 toneladas na emissão de dióxido de carbono associado à energia economizada, segundo informa a marca.

Ao restaurar os componentes genuínos, a Volvo Cars está a limitar o seu impacto ambiental não só ao nível de energia consumida, mas também ao poupar nas matérias primas utilizadas.

O Volvo Cars Exchange System procura restaurar as peças usadas às suas especificações originais uma vez que se estima que uma peça reaproveitada necessite até menos 85% de matérias primas e consuma até menos 80% de energia na produção, em comparação com uma nova.

Leia também:

Volvo lança programa de garantia vitalícia de peças

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of