A nova realidade pandémica na qual vivemos mais o espaço “casa” como local central da nossa vida, para trabalho e lazer, para estar em família e em descanso, ganhou novas formas reflexo de novas necessidades.

A Thermor, especialista em soluções aerotérmicas para o conforto da casa, analisou algumas das tendências e divulga as que mais moldarão o futuro das casas.

Um dos aspetos a reter é que o centro da casa passa a ser a cozinha pela multifuncionalidade de que se reveste. “Desde sempre, este é o local da casa que reúne mais a família, enquanto se cozinha, enquanto se tomam algumas das refeições, é o espaço privilegiado para conversas informais, conversas sérias e mais descontraídas, para preparar o dia e planear os seguintes. É o espaço mais multifuncional da nossa casa. Por isso, cada vez mais, este espaço deverá vir a ganhar mais protagonismo nas construções, imiscuindo-o com os espaços de sala de estar e de jantar”, salienta a Thermor.

Considerando que o futuro do trabalho será híbrido “e o que a pandemia mudou já não volta atrás, então, as nossas casas darão um passo à frente”, afirmam estes especialistas.

Os espaços mais intimistas, que permitem relaxar e desconectar dos estímulos de trabalho, serão privilegiados. “Os quartos não serão mais espaços unicamente para dormir, mas sim para estar, para ouvir o seu podcast preferido ou para ler o livro que o inspira”, frisa a Thermor.

Espaços mais flexíveis

Neste novo contexto, os espaços deverão ser mais flexíveis: “Hoje um quarto de brincar, amanhã um ginásio, ou um estúdio de música, o que mais o apaixonará e à sua família à medida que crescem. A flexibilidade e capacidade de modulação, com espaços de armazenamento suficiente e funcional/prático, são cada vez mais uma opção e uma clara tendência”.

Sustentabilidade: inevitável

Com o planeta a rumar para hábitos e práticas sustentáveis, será inevitável que também sustentabilidade tome conta das casas – de todas as suas divisões, da estrutura da casa e do seu interior, clarificam estes especialistas.

“Seja através de paredes mais isoladas, de instalação de painéis solares, de estruturas modernas e inovadoras de aquecimento de água e de casa, baseadas também no autoconsumo, a aposta em iluminação renovável e sustentável. Tudo vai ajudar a poupar, a viver de forma mais sustentável e contribuir para menos emissões de CO2. Esta é uma tendência que já é também uma realidade”.

A natureza como extensão das nossas casas

E nesta linha, ambiental, não menos importante, é o papel preponderante que hoje o exterior ganhou no nosso interior, alude a Thermor. “Ou seja, criar casas onde a luz, a natureza possa ser uma extensão da nossa casa, seja através de privilegiar o uso de janelas maiores, seja através da renovação de espaços como varandas ou terraços que podem ampliar o nosso espaço interior possibilitando-nos viver mais também no exterior”, explicam estes especialistas em soluções aerotérmicas.

Foto: Anastasia Shuraeva/Pexels

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of