Marcos Fabregas-Dittmann
Marcos Fabregas-Dittmann
Diretor da Eaton Iberia

Instamos os governos e reguladores a criar um quadro regulador e de mercado claro e estável para apoiar o desenvolvimento de mercados flexíveis. Isto proporcionará rapidamente e a custo zero para o governo, uma forma de os consumidores e as empresas beneficiarem de novos fluxos de receitas e de um retorno mais rápido dos ativos de flexibilidade que possuem, tais como bombas de calor, armazenamento baseado em baterias ou VE ligados à rede.

Mercados flexíveis na energia: essenciais para o desenvolvimento sustentado

0
534

Estamos agora a menos de dez anos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU para 2030, e é evidente que ainda há um longo caminho a percorrer antes de os alcançarmos. Contudo, a boa notícia é que a política governamental e a economia estão a começar a avançar na direção certa – em particular quando se trata da descarbonização das redes elétricas da Europa e da eletrificação dos transportes. 

Espera-se que até 2050 [1], as energias renováveis representem metade de toda a produção de eletricidade. Nas economias europeias, mais de metade da energia elétrica total fornecida às redes será proveniente de energias renováveis variáveis até 2030 [2].  Além disso, a eletrificação dos transportes está a ganhar força à medida que o preço dos veículos elétricos diminui inexoravelmente no sentido da paridade com o motor de combustão interna. 

A combinação de uma rede alimentada predominantemente por energias renováveis e vastas cargas novas distribuídas que também podem armazenar eletricidade está a aumentar o modelo tradicional de fornecimento de energia elétrica. Este novo ecossistema energético emergente compreende uma rede intrincada de “prosumers”: consumidores e empresas que podem produzir e armazenar a sua própria energia localmente, utilizar o que é necessário e, em muitos casos, vender o excesso de energia de volta à rede – fornecendo serviços de equilibração essenciais necessários para apoiar sistemas altamente renováveis. 

Além disso, a eletrificação do calor e os processos industriais irão acrescentar capacidade adicional a este novo e vasto mercado virtual de energia, no qual milhões de consumidores poderão negociar com as estruturas de mercado e códigos de rede corretos.

Infelizmente, hoje em dia, na maioria dos mercados internacionais, com exceção dos nórdicos, a atual regulamentação foi concebida para um sistema de energia centralizado, reduzindo o incentivo ao investimento em ativos flexíveis. Por essa razão, instamos os governos e reguladores a criar um quadro regulador e de mercado claro e estável para apoiar o desenvolvimento de mercados flexíveis. Isto proporcionará rapidamente e a custo zero para o governo, uma forma de os consumidores e as empresas beneficiarem de novos fluxos de receitas e de um retorno mais rápido dos ativos de flexibilidade que possuem, tais como bombas de calor, armazenamento baseado em baterias ou VE ligados à rede. Isto irá colocar em cadeia um ciclo virtuoso de mais investimento privado, menores custos de reforço da rede de distribuição e, em última análise, empregos de alta qualidade para os eletricistas e instaladores necessários para construir esta infraestrutura em edifícios e fábricas em todo o continente.

[1] BloombergNEF (setembro 2018). A procura global de eletricidade aumentará 57% até 2050. Recuperado de LINK

[2] Henbest, Seb (2019). BloombergNEF New Energy Outlook 2019. Recuperado de https://about.bnef.com/new-energy-outlook/

Foto de destaque de Marcel Strauß

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of