A Finerge acaba de adquirir a WTG e o seu portefólio, que compreende três parques eólicos na zona de Arouca (Alto do Côto) e Mação (Serra da Amêndoa e Serra da Lage), com uma capacidade combinada de 28.35 MW, distribuída por um total de 25 geradores eólicos.

O parque da Serra da Lage está a ser alvo de uma repotenciação que se completará nos próximos dias, com a capacidade instalada a ser substituída por uma turbina única Vestas V150 de 4,2 MW, a maior capacidade instalada por uma única turbina em Portugal, em terra.

Vestas V150 de 4,2 MW

“É mais um passo na prossecução dos nossos objetivos estratégicos e na consolidação da nossa presença em Portugal. Esta turbina de 4.2 MW é uma das maiores instaladas no país e sinaliza o nosso compromisso em recorrer a tecnologia de ponta para contribuir para a obtenção das metas do PNEC, com o menor impacto ambiental possível”, afirma Pedro Norton, CEO da Finerge.

A Finerge chegou a acordo recentemente com a Vestas para o fornecimento de aerogeradores destinados aos projetos de sobreequipamento de seis parques eólicos, com uma capacidade adicional de 39 MW, num conjunto de projetos de sobreequipamento eólico de mais de 150 MW.

Parques solares também no portefólio da Finerge

Em 2020, a Finerge continuou a aposta nas energias renováveis em Portugal e Espanha. A empresa entrou no negócio da energia solar em Portugal, adquirindo dez centrais solares (quatro em março e seis em novembro). Comprou ainda sete parques eólicos em Espanha, em dezembro, passando a ser a sexta maior produtora de energia eólica da Península Ibérica. Por fim, fechou três linhas de financiamento para investimentos em ativos: uma de 200 milhões de euros, em abril; outra de 150 milhões de euros, em novembro, para a aquisição de parques solares; e a última, de 348 milhões de euros, vinculada a ativos eólicos em Espanha.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of