A Sociedade Ponto Verde (SPV) remodelou o site Ponto Verde Lab. Esta plataforma digital tem como objetivo promover o reforço de investimento nas áreas de Investigação e Desenvolvimento (I&D) aliadas ao Ecodesign, na cadeia de valor das embalagens e resíduos de embalagens, procurando desafiar não só os agentes da cadeia de produção, mas também a Academia e profissionais de outras áreas, a desenvolverem embalagens mais sustentáveis e com maior potencial de reciclabilidade após o consumo.

“O Ponto Verde Lab foi inicialmente desenhado como uma plataforma que contribuía para o alcance dos objetivos definidos na estratégia de Prevenção da SPV, mas face às crescentes exigências no campo da reciclagem de embalagens e da economia circular, tornou-se essencial uma aposta reforçada na Inovação através do desenvolvimento de uma estratégia que potencia as áreas de Prevenção e de I&D, sob uma marca única”, explica a SPV.

Incorporação de materiais reciclados

O objetivo do Ponto Verde Lab é contribuir para a obtenção de conhecimento, de novas atualizações na área das embalagens e resíduos, através da promoção e apoio financeiro à execução de estudos e projetos I&D, potenciando a exploração de oportunidades de incorporação de materiais reciclados, passando pelo desenvolvimento e testes a novas embalagens de materiais alternativos, até à logística e novos modelos de negócios.

“Ao longo dos seus 25 anos de atividade, a SPV tem aumentado o seu contributo para o conhecimento científico e para o processo de gestão e desenvolvimento de novas soluções para as empresas embaladoras. A reformulação que estamos agora a fazer no projeto Ponto Verde Lab é uma evolução natural que vai responder de acordo com as novas políticas de sustentabilidade, acelerando a inovação, a disrupção e a evolução do setor, em conjunto com os nossos vários parceiros”, explica Ana Isabel Trigo Morais, CEO da SPV.

Novos métodos de reciclagem de embalagens

A plataforma Ponto Verde Lab integra também o programa de aceleração Re-Source.

Em colaboração com a consultora de inovação colaborativa Beta-i, este programa de inovação aberta desafia start-ups de todo o mundo a colaborar com a SPV na criação de projetos-piloto que visem aumentar as taxas de reciclagem junto dos consumidores e dar origem a novas soluções para categorias específicas de resíduos.

Uma vez que o universo da I&D possibilita a conceção de novos métodos de reciclagem de embalagens que contribuem para o desenvolvimento de uma indústria mais forte e coesa em Portugal, esta estratégia está alinhada com a aposta da SPV na inovação do setor, algo que tem vindo a fazer desde a sua criação, em 1998, e que resultou desde então na alocação de mais de 11,5 milhões de euros para apoiar dezenas de projetos e envolvendo mais de 80 parceiros neste objetivo. 

Leia também

À caça de projetos-piloto que aumentem as taxas de reciclagem

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of