O EQS é o porta-estandarte elétrico que a Mercedes-Benz revelou esta semana, com uma autonomia que pode chegar a 770 km, em função de um pack de baterias de 107,8 kWh de capacidade.

O EQS de série permanece fiel ao concept EQS Vision 2019, com uma linha do teto de uma só curva que se estende para trás formando uma secção traseira tipo liftback.

O fabricante afirma que o modelo tem um cd de 0.20, o “que torna o EQS o mais aerodinâmico veículo de produção do mundo”.

Com portas sem moldura, o EQS mede 5216 mm de comprimento, 1926 mm de largura e 1512 mm de altura e dispõe de uma distância entre eixos de 3.210 mm que é, inclusive, 106 mm mais longa do que a do Classe S.

Para melhorar a sua agilidade, o modelo possui rodas traseiras direcionais.

A bagageira assinala 610 litros, o que é 60 litros a mais do que o oferecido pelo Classe S, aumentando para 1770 litros com os bancos traseiros rebatidos.

Motorizações previstas

A limousine terá uma gama de vários níveis de potência. No início, estará disponível um EQS 450+ (apenas um motor traseiro de 245 kW/333 cv e 568 Nm) e um EQS 580 4Matic (com dois motores, um por eixo, com 385 kW/523 cv e 855 Nm).

A variante EQS 450+, com tração traseira, garante uma aceleração de 0-100 km/h em 6,2 segundos. Equipa uma bateria de 107.8 kWh.

Todos os EQS possuem um sistema de transmissão elétrico (eATS) no eixo traseiro. As versões com 4MaticC também terão um eATS no eixo dianteiro.

As vendas estão previstas para a segunda metade de 2021.

O EQS 580 4Matic, com tração integral, acelera dos 0-100 km/h em 4,3 segundos. Dispõe de uma bateria de 107.8 kWh.

A velocidade máxima está limitada a 210 km/h.

Em termos de consumo, de acordo com a marca, o EQS 450+ apresenta uma média em ciclo combinado WLTP de 20.4-15.7 kWh/100 km; o EQS 580 4Matic tem um consumo elétrico combinado de 21.8-17.4 kWh/100 km.

Mais à frente chegará uma versão desportiva com até 560 kW (761 cv).

Plataforma EVA

Mercedes-EQ, EQS 580 4Matic

O EQS é o primeiro de uma gama de modelos de EQ a usar a plataforma EVA (Arquitetura de Veículo Elétrico) dedicada da Mercedes-Benz. O modelo será produzido em Sindelfingen, Alemanha.

Esta plataforma EVA irá também ser usada nos próximos EQE, EQE SUV e EQS SUV.

Mediante pedido, o EQS está disponível com quatro portas automáticas. A lógica é que, através do MBUX, o condutor tenha a opção de abrir as portas traseiras remotamente e permitir a entrada de crianças, por exemplo, na escola.

Carregamento com sistema de 400V

O EQS vem munido de um sistema elétrico de 400V que lhe permite carregar com até 200 kW em postos rápidos com corrente contínua.

Energia para mais 300 km (WLTP) é recarregada em 15 minutos na versão EQS 450+.

Na variante EQS 580 4Matic, 15 minutos num posto rápido dão eletricidade para percorrer 280 km.

O carregador a bordo é de 11 kW (de série), com o qual são precisas 10 horas para carregar a bateria.

Está disponível como opção, o carregador de 22 kW que carrega em cinco horas o pack das baterias.

Para a Europa, o carregador é CCS system (Combined Charging System).

Uma curiosidade: para o mercado japonês, o protocolo do carregador é o CHAdeMO e o carregamento bidirecional (V2G/Vehicle-to-Grid e V2H/Vehicle-to-Home) com o EQS será igualmente possível.

O condutor pode manualmente selecionar o grau de desaceleração em três etapas: D+; D; e D.

A bateria tem uma garantia de 10 anos ou 250.000 km com uma capacidade restante de 70%.

A navegação com “Electric Intelligence” planeia a rota mais rápida e conveniente, incluindo paragens para carregamento, com base em vários fatores e reage dinamicamente a engarrafamentos ou a mudanças no estilo de direção, por exemplo.

Uma nova característica do EQS é a visualização no sistema de infotainment (MBUX Mercedes-Benz User Experience) se a capacidade da bateria disponível é suficiente para regressar ao ponto inicial sem carregar.

Estações de carregamento ao longo da rota que foram adicionadas manualmente têm preferência no cálculo do trajeto. Os postos de carregamento propostos podem ser excluídos.

Os custos de carregamento estimados por paragem de carregamento são calculados.

Hyperscreen digital domina interior

O interior do EQS é dominado pelo novo Hyperscreen digital da Mercedes – uma tela curva de uma peça que se estende por toda a largura do painel, mede 141 cm e aloja três ecrãs digitais – um para os instrumentos, um para as funções centrais de infoentretenimento e ar-condicionado, e outro à frente do passageiro da frente (a área de indicação do MBUX Hyperscreen para o passageiro dianteiro pode ser personalizada, tendo até sete perfis).

EQS

Este Hyperscreen é controlado pela última geração do MBUX – um sistema operativo que cujo assistente de voz “Olá Mercedes” suporta voz conversacional como padrão (“Compreensão de Linguagem Natural”, na expressão da marca), compreendendo 27 idiomas.

Para uma resposta tátil durante a operação, estão instalados 12 atuadores atrás das superfícies táteis do MBUX Hyperscreen. Se um dedo tocar em certos pontos no ecrã, os atuadores acionam uma vibração percetível na tela de proteção.

EQS

Explica o construtor que um revestimento no vidro de cobertura simplifica a limpeza do MBUX Hyperscreen. O próprio vidro curvilíneo é constituído por silicato de alumínio particularmente resistente a riscos.

CPU de 8 núcleos, 24 Gb de memória RAM e 46.4 Gb/s de largura de banda da memória RAM são alguns dos dados técnicos do MBUX.

O brilho do ecrã do MBUX Hyperscreen é ajustado às condições ambiente utilizando os dados medidos por 1 câmara multifunções e 1 sensor de luminosidade adicional.

Para obter as aplicações mais importantes do MBUX, o utilizador só necessita de percorrer os níveis do menu 0 (inicial). É por essa razão que este conceito é designado por camada zero.

EQS

Atualizações “Over-The-Air”

O MBUX Hyperscreen tem igualmente capacidade de software “Over-The-Air (OTA)” que permitirá aos proprietários atualizar vários recursos, incluindo um ângulo de direção maior de 10,0 graus para o sistema de direção do eixo traseiro do EQS, que fornece um círculo de viragem de 10,9 m (a direção do eixo traseiro de série tem um ângulo da direção de até 4.5°).

A área útil do maior ecrã head-up disponível como opção corresponde à de um ecrã com uma diagonal de 77 polegadas.

Em função do equipamento, até 350 sensores monitorizam as funções do EQS ou controlam a zona circundante do veículo.

Os sensores registam, por exemplo, as distâncias, as velocidades e acelerações, as condições de iluminação, a precipitação e as temperaturas, a ocupação dos bancos bem como os movimentos das pálpebras do condutor ou a linguagem dos passageiros.

O EQS dá também mais um passo em direção à condução autónoma nos países onde a sua legislação o permitir. Na Alemanha, com o sistema opcional Drive Pilot, o EQS poderá deslocar-se com um elevado grau de automação até uma velocidade de 60 km/h em situações de tráfego intenso ou paragens num cenário de autoestrada, por exemplo.

EQS

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of