A ERSE (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos), no exercício dos poderes de regulação conferidos por lei, após análise do parecer do Conselho Tarifário e das entidades regulamentarmente previstas, aprovou os valores das tarifas da Entidade Gestora da Rede de Mobilidade Elétrica (EGME) que irão vigorar, a partir do dia 1 de maio de 2021, em todo o território português para carregar na rede de mobilidade elétrica.

O que é que isto significa?

Isto significa que aos valores que os utilizadores já pagam ao carregar os seus elétricos, passa a acrescentar uma nova tarifa para a Mobi.e.

O Regulamento da Mobilidade Elétrica estabelece as seguintes tarifas da EGME:

Tarifa da EGME aplicável aos CEME: 0,1657 EUR/carregamento
Tarifa da EGME aplicável aos OPC: 0,1657 EUR/carregamento
Tarifa da EGME aplicável aos DPC: 0,0385 EUR/dia/equipamento de carregamento

Estas tarifas serão incorporadas no preço final pago pelos utilizadores de veículos elétricos que recorrem à rede de mobilidade elétrica, sendo que 2021 é o primeiro ano em que se aplicarão as tarifas da EGME, a partir de 1 de maio.

Caso os CEME e os OPC decidirem não absorver estes custos, será o utilizador a suportá-los.

Esta taxa estava prevista desde o início, mas não tinha sido ainda aplicada e julgava que seria apenas mais tarde.

€0,1657 + €0,1657 = €0,3314

Feitas as contas, estamos a falar de €0,1657 (aplicável aos CEME por carregamento) mais €0,1657 (aplicável aos OPC por carregamento) que, somados, dão um total de €0,3314 por carregamento.

A análise da ERSE quanto aos impactos das tarifas da EGME (aplicáveis a CEME e a OPC) pela realização de carregamentos na rede Mobi.e mostram que estas tarifas representarão entre 4% e 8% do preço final pago pelos utilizadores de veículos elétricos.

A figura seguinte, elaborada pela ERSE, apresenta um exemplo de desagregação dos custos por distância percorrida de um carregamento na rede de mobilidade elétrica:

Este exemplo da ERSE é para um cenário de 12,5 kWh/carregamento, em pontos de carregamento com entrega da rede elétrica em baixa tensão, tanto para pontos de carregamento rápidos (potência acima de 22 kW), como normais (potência até 22 kW), assumindo um consumo de 15 kWh/100 km para o veículo elétrico.

Com base neste exemplo, um condutor que utilize um posto rápido ver-se-á confrontado com um aumento de 7,3%, ao passo que o uso de um posto rápido normal terá associado um agravamento de 7,4%.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of