O Observador Cetelem Automóvel 2021 questionou os consumidores de 15 países sobre qual será a energia do próximo veículo que planeiam adquirir e perto de um em cada dois inquiridos respondeu já que o seu próximo veículo será híbrido ou elétrico.

O estudo também foi feito em Portugal.

De acordo com o Observador Cetelem estas opções são influenciadas pelo nível de rendimento: “Os inquiridos com rendimentos mais elevados tendem a optar por escolhas mais ecológicas do que aqueles que têm rendimentos baixos ou médios. Para estes consumidores, a gasolina continua a ser a prioridade, seguindo-se o Diesel. O custo mais elevado do automóvel elétrico e do híbrido é, assim, um fator impeditivo importante”, salienta esta análise.

Metodologia
As análises económicas e de mercado, bem como as projeções, foram realizadas em parceria com a empresa de estudos e consultoria C-Ways, especializada em marketing de antecipação. O trabalho de campo quantitativo foi conduzido pela Harris Interactive de 2 a 11 de setembro de 2020 em 15 países: África do Sul, Alemanha, Bélgica, Brasil, China, Espanha, Estados Unidos da América, França, Itália, Japão, Holanda, Polónia, Portugal, Reino Unido e Turquia. No total, foram entrevistadas 10.000 pessoas online (método de recolha CAWI), com idade entre 18 e 65 anos, representativas de cada país. A representatividade da amostra é assegurada pelo método quotas (sexo, idade). Foram entrevistadas 500 pessoas em cada país, exceto em França onde se realizaram 3 mil entrevistas.

Estes dados vão ao encontro da tendência que os mercados elétrico e híbrido atravessam: em 2019, estes dois segmentos de mercado começaram a representar volumes de vendas percentualmente relevantes – 15% na Holanda, mais de 5% na China e em Portugal e mais de 3% em França, na Alemanha, na Bélgica e no Reino Unido.

Os resultados do estudo reforçam ainda a ideia de que os automóveis ecológicos, em particular os elétricos, podem ser parte da solução para vários problemas ambientais: os inquiridos acreditam que este género de veículo de zero emissões locais pode ajudar a resolver problemas relacionadas com a poluição do ar (85%), a poluição sonora (82%) e o aquecimento global (79%).

De acordo com o inquérito do Observador Cetelem, no momento da compra de um elétrico, continua a existir um ponto a ter em conta: as redes de carregamento, que são vistas como fundamentais e que ainda representam um calcanhar de Aquiles nesta indústria. “Assim, um terço dos inquiridos acredita que cabe ao Estado reforçar esta rede; e cerca de 30% acredita que as empresas de energia também devem ser responsáveis pela sua implementação”, aponta o inquérito.

Artigo anteriorFiat vai recompensar condutores de 500 elétrico com dinheiro digital
Próximo artigoClientes da LeasePlan passam a poder usar EV como veículos de substituição

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of