Luís Pessoa Gaspar tem 49 anos e é advogado.

Quando passou a utilizar um híbrido plug-in e qual o modelo?

Foi a partir de março de 2017, um Mercedes-Benz C350e.

A escolha foi sua ou tratou-se de uma decisão da empresa?

Foi uma escolha pessoal.

Sendo sua, qual o motivo da escolha?

O ambiente e uma nova experiência de tecnologia.

Qual o automóvel que tinha antes de começar a utilizar este híbrido plug-in?

Tinha um Mercedes-Benz C220 CDI.

Quais as vantagens que este tipo de veículo apresenta?

A suavidade de condução em regime elétrico e a economia em pequenas deslocações.

Carrega a bateria do seu PHEV com regularidade? Se sim, diga-nos como e onde o faz.

Carrego todos os dias. Apenas em ficha doméstica.

Qual o consumo de gasolina/gasóleo que faz habitualmente neste veículo?

Com o C350e PHEV gastava 4,5 litros de gasolina a cada 100 km. Com o automóvel a gasóleo, 6,0 l/100 km.

Quais são as desvantagens que os PHEV apresentam face a outro tipo de veículos, como os híbridos convencionais e os elétricos?

Não é a melhor solução. Como o nome refere é um hibrido, paga IUC e polui.

Continua a ter/utilizar um PHEV ou tem entretanto um automóvel de outro tipo? Qual e porquê?

Sim, tenho já um outro carro elétrico: um Tesla Model 3.

Qual será o seu próximo automóvel?

Seguramente um outro carro elétrico.

Pensa que faz sentido classificar os PHEV como veículos que prejudicam o ambiente? Qual o papel que podem ter na transição energética?

Não. São a porta de entrada para a transição, mas “sabem a pouco”. Creio que em breve farão parte do passado face à atual autonomia dos BEV e proliferação de PCRs*  atualmente existentes e dos PCUR** que estão para chegar.

*Postos de Carregamento Rápido
**Postos de Carregamento Ultra Rápido

 

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of