A Iveco, a Daimler Truck AG, o Grupo Volvo e as empresas do ramo da energia OMV e Shell criaram o projeto H2Accelerate, que visa trabalharem em conjunto para ajudar a criar as condições de implementação em massa da circulação de camiões a hidrogénio na Europa.

“À medida que um número crescente de governos e empresas se alinham numa perspectiva comum, rumo a um sistema de energia zero emissões líquidas, os participantes no projecto H2Accelerate acreditam que o hidrogénio é um combustível essencial para a completa descarbonização do setor dos transportes pesados de mercadorias”, sublinha a Iveco em comunicado.

O fabricante sublinha que se espera que um aumento da produção em larga escala de camiões a hidrogénio crie novas indústrias: instalações de produção de hidrogénio de carbono zero, sistemas de distribuição de hidrogénio em larga escala, uma rede de postos de abastecimento de elevada capacidade para hidrogénio líquido e gasoso e a produção de camiões movidos a hidrogénio.

Meta do ano 2050 no horizonte

Os participantes no projeto H2Accelerate acreditam que os investimentos alinhados em todo o setor, ao longo da década de 2020, permitirão criar as condições para a implementação em massa do mercado de transportes pesados a hidrogénio, fundamentais para atingir os objetivos europeus de zero emissões líquidas até 2050.

A Iveco afirma que as estimativas apontam para que o escalonamento da produção ao longo de uma década atraia grupos de clientes dispostos a assumir um forte empenho no transporte a hidrogénio, logo desde o início.

“Prevê-se que essas frotas operem em grupos regionais e ao longo dos corredores europeus de alta capacidade, com uma boa cobertura de postos de abastecimento. Durante a década, esses clusters podem ficar interligados, de modo a construir uma rede verdadeiramente pan-europeia”, declara a Iveco.

Este conjunto de empresas realça a importância de, ao longo deste período, ser necessário um apoio do setor público.

No âmbito do projeto H2Accelerate, os participantes contam poder trabalhar em conjunto na obtenção de financiamentos para projetos pré-comerciais antecipados durante a primeira fase de lançamento.

Paralelamente, os participantes irão trabalhar no sentido de obter o envolvimento de responsáveis políticos e entidades reguladoras, de forma a incentivar um ambiente político que ajudará a apoiar, no período subsequente, a produção em grande volume de camiões a hidrogénio e a implementação, em toda a Europa, de uma rede de abastecimento de hidrogénio de carbono zero.

Os três fabricantes de pesados envolvidos:

Sobre o H2Accelerate
O H2Accelerate consiste num acordo de colaboração assinado entre os participantes, no âmbito do qual estes irão trabalhar em conjunto para:
• obter apoio público para financiamento de projectos pré-comerciais antecipados, para ativar o mercado rumo à implantação em massa no mesmo;
• comunicar em torno da viabilidade técnica e comercial do transporte movido a hidrogénio em larga escala; e
• realizar debates com decisores políticos e entidades reguladoras, de forma a incentivar políticas que possam apoiar uma activação sustentável e rápida do mercado de camiões de longo curso, com zero emissões.

Comentários dos participantes

►“A adopção generalizada da tecnologia de células de combustível de hidrogénio nos transportes pesados é uma das funções da infraestrutura necessária. Também necessitamos de projectos muito concretos para demonstrar, junto dos transportadores e de outros agentes do sector, que esta solução é financeira e operacionalmente viável. A inovação do projecto de colaboração H2Accelerate criará as condições para que isso aconteça e permitirá acelerar a transição para os transportes de emissões zero” – Gerrit Marx, Presidente Comercial & Veículos Especiais da CNH Industrial (grupo que detém a Iveco)

►“As vantagens são claras. Ao aumentar significativamente os volumes de produção de camiões movidos a hidrogénio, estes terão de ficar disponíveis para os clientes pelo mesmo custo ou a um custo inferior ao da operação de um camião a diesel nos dias de hoje. Isto significa que os clientes de camiões terão de ter acesso a um veículo totalmente zero emissões, com tempos de reabastecimento, autonomia e faixas de custo comparativamente semelhantes aos dos veículos actualmente em utilização. Para alcançar essa ambição é necessário um quadro regulamentar claro, incluindo políticas voltadas para o abastecimento de hidrogénio, camiões a hidrogénio, infraestruturas de reabastecimento e incentivos ao consumidor, tudo isto de uma forma coordenada” – Elisabeth Brinton, Vice-Presidente Executiva de Novas Energias da Shell.

►“As mudanças climáticas são o desafio da nossa geração e estamos totalmente comprometidos com o Acordo Climático de Paris para a descarbonização do transporte rodoviário. No futuro, o mundo será movido por uma combinação de veículos elétricos a bateria e com fuel cell, a par de outros combustíveis renováveis até certo ponto. A formação da colaboração H2Accelerate é um passo importante na formação de um mundo em que queremos viver” – Martin Lundstedt, presidente e CEO do Grupo Volvo.

►“As empresas participantes da H2Accelerate concordam que os camiões movidos a hidrogénio serão a chave para permitir o transporte neutro de CO2 no futuro. Esta colaboração sem precedentes é um marco importante para permitir as condições estruturais adequadas para o estabelecimento de um mercado de massa para veículos pesados a hidrogénio. É também uma chamada para a ação para políticos e outros atores envolvidos, bem como para a sociedade como um todo” – Martin Daum, Presidente do Conselho de Administração da Daimler Truck AG e Membro do Conselho de Administração da Daimler AG

►“O projeto H2Accelerate está a desempenhar um papel pioneiro e a OMV está a dar um contributo importante. Para alcançar as metas climáticas, precisaremos de qualquer tecnologia de baixo carbono. O hidrogénio é uma opção para a mobilidade compatível com o clima do futuro” – Angelika Zartl-Klik, SVP da OMV HSSE & New Energy Solutions

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of