Tal como outras marcas, a Nissan está a trabalhar na condução autónoma. No seu trabalho de investigação, os engenheiros da marca inspiraram-se no comportamento dos peixes que nadam em cardume para aperfeiçoar o modo como os veículos autónomos podem evitar colisões.

Assim, a Nissan desenvolveu o Eporo, um robot concebido para demonstrar como os automóveis se podem mover em segurança e de forma eficaz, quer estando sozinhos ou em grupo.

O Eporo não utiliza informações de mapas. Em vez disso, cada robot deteta, os obstáculos e os outros Eporo em seu redor, pensa por si próprio e toma decisões. Quando estes robots se deslocam juntos, em formação, movem-se de forma independente sem colidirem.

Robots com raios laser

Como é que os robots “aprenderam” isto com os peixes? Os engenheiros da Nissan explicam que estudaram como os cardumes, caso das sardinhas, nadam em formações densas evitando em simultâneo ir contra obstáculos e uns contra os outros.

De acordo com o construtor, em traços gerais, os peixes reconhecem o espaço envolvente, quer através da visão, quer através da perceção da “linha lateral”, permitida através dos poros ao longo do seu corpo que conseguem detetar movimento, vibrações e variações de pressão na água em seu redor. Para mimetizar isto, o Nissan Eporo utiliza tecnologia de comunicação de banda ultra-larga e um telémetro a laser, que desempenham respetivamente os papéis da visão e da perceção da linha lateral.

Comunicação de banda ultra-larga

Quando vários robots Eporo se deslocam em conjunto, utilizam a tecnologia de comunicação de banda ultra-larga para transmitirem e receberem sinais uns dos outros, trocarem informações acerca das respetivas posições, velocidades e orientações, sendo a distância entre eles calculada com base no tempo de ida e volta dos sinais.

Agora com a sua própria manga
A “família” Eporo inclui sete robots, e tal como os condutores reais, cada um deles tem o seu próprio estilo de condução. Uma unidade chamada “Silver” é um líder por natureza, enquanto outra, denominada “Choco”, tem uma personalidade impaciente e gosta de acelerar, já o “Orange”segue o seu próprio ritmo, refere a marca. O Eporo provou ser um embaixador popular da Nissan, fazendo aparições em salões automóveis e outros eventos nos E.U.A., China, Singapura, Espanha, Coreia do Sul, Índia e Austrália, desde que foi apresentado pela primeira vez em 2009. Recentemente, o Eporo tornou-se protagonista da sua própria manga (a banda desenhada japonesa), lançada pela Nissan para comunicar com públicos mais jovens acerca desta tecnologia de futuro.

Ao mesmo tempo, cada telémetro a laser da unidade emite um raio para medir a distância em relação a eventuais obstáculos que se encontrem no caminho.

Em resultado, a formação de robots Eporo consegue mudar livremente a sua forma e deslocar-se em segurança e de forma eficaz numa diversidade de ambientes. Utilizando os respetivos sensores, eles conseguem facilmente contornar esquinas, circular em estradas que estreitam repentinamente e evitar obstáculos. Quando se deparam com um congestionamento, os robots conseguem continuar a progredir mantendo em simultâneo uma distância adequada.

Evitar congestionamentos e acidentes

“O Eporo faz parte da busca, que já se estende por várias décadas, da Nissan de novas tecnologias que permitam tornar os automóveis mais seguros e mais inteligentes. Ao abrigo do seu plano de transformação Nissan Next, a empresa está a expandir o número de modelos equipados com funcionalidades avançadas de assistência ao condutor, tais como o sistema Nissan ProPILOT, em mercados de todo o mundo. Caso as tecnologias do Eporo possam ser adaptadas aos automóveis, tal poderá ajudar a aliviar os congestionamentos de trânsito, a reduzir os acidentes e a tornar a condução mais agradável e livre de stress”, refere a marca japonesa.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of