Há dois anos, o responsável da McLaren dizia que a tecnologia híbrida estaria presente nos próximos modelos da marca (ver notícia aqui). Agora, o mesmo Mike Flewitt afirmou ao Financial Times que a empresa, a partir de 2030, passará a produzir apenas veículos com motorizações 100% elétricas.

Ou seja, a McLaren irá parar de desenvolver motores a gasolina dentro de uma década.

As palavras de Flewitt foram estas: “Nos próximos dez anos continuaremos a produzir motores híbridos, a gasolina e elétricos e continuaremos a vendê-los. Mas em 2030 só iremos fabricar veículos elétricos e estamos convencidos de que, em 2035, grande parte do mundo terá optado pelo mesmo: a favor da mobilidade com emissões zero”.

Estas declarações vieram aguçar a curiosidade a respeito de qual será o primeiro McLaren EV da história e que, no futuro, será uma alternativa ecológica aos tradicionais hipercarros a gasolina.

A McLaren já tem dois modelos híbridos, o P1 e o Speedtail (nas fotos).

O McLaren elétrico será, assim, um rival do hipercarro Lotus Evija.

Para a produção dos novos modelos, o CEO da McLaren indicou ainda que pretende que, pelo menos, 60% dos componentes venham diretamente do Reino Unido, incluindo as caixas de velocidade que, até agora, eram “Made in” Itália.

 

Artigo anteriorEletricidade renovável no centro da descarbonização domina debate
Próximo artigoLucid Air: o EV que faz jus ao slogan “mais longe e mais rápido”

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of